Criofrequência funciona? Criofrequência antes e depois

Criofrequência funciona? Criofrequência antes e depois
Avalie esta postagem

A criofrequência é um método de tratamento que visa a redução da gordura localizada, de modo a aprimorar a estética do corpo e eliminar problemas como celulite e flacidez, ou os famosos “pneuzinhos”.

Há muitos mitos e incompreensão em torno do que fato consiste a técnica, e é por isso que iremos explicá-la tintim por tintim no texto de hoje. Em primeiro lugar, precisamos reconhecer que a criofrequência é apenas uma das várias técnicas aplicadas na chamada terapia criogênica, que faz uso de temperaturas baixas e do congelamento de gorduras localizadas como estimulante natural para a queima de calorias pelo próprio corpo.

Criofrequência funciona?

Além da criofrequência e criolipólise, há ainda uma série de outras técnicas empregadas na criogênese.

O prefixo “crio” tem origem grega e designa a ideia de “frio” ou “gelo”. Muitos se perguntam como funciona a criofrequência e o seu tratamento. Trata-se de uma técnica altamente sofisticada. Com efeito, a criofrequência faz uso de equipamentos e máquinas para resfriar a pele sobre a área de acúmulo de gorduras localizadas.

A base congeladora abaixa a temperatura da epiderme para até 5 ºC negativos, ao passo que submete a região a uma radiofrequência de aproximadamente 55 ºC. É exatamente o choque entre essas temperaturas que produzirá o efeito desejado, com a contração das fibras de colágeno. 

Mitos e verdades sobre a criofrequência 

Como dissemos, há toda um folclore de mitos e inverdades que cercam a criofrequência. Uma parte considerável de desconfiança e ceticismo vem do senso comum, que desconhece os aspectos técnicos da indústria da estética corporal. Por isso, cabe aqui elucidar sobre alguns dos principais mitos em torno da criofrequência.

Em primeiro lugar, que a técnica da criofrequência serve apenas para a redução de gorduras localizadas. Isso não é verdade, pois o tratamento possui ainda outras vantagens e produz efeitos diversos. Por exemplo, a criofrequência também serve para o combate à problemas como a celulite e a flacidez, que costumam acompanhar o excesso de gorduras localizadas, mas não necessariamente se confundem com elas.

Outro mito que é muito relacionado à criofrequência é o de que o tratamento pode causar queimaduras. Isto também não é verdade, já que o equipamento usado no tratamento não provoca nenhum tipo de ferimento ou dor na pele. O dispositivo de resfriamento evita que a grande potência da máquina cause qualquer dano à epiderme. 

Antes e depois 

As várias resenhas sobre os resultados de um tratamento desses comprovam a sua efetividade enquanto técnica estética. Apesar de trazer mesmo essa série de benefícios estéticos, como o combate às rugas e linhas de expressão, a criofrequência produz ainda benefícios para a saúde geral do paciente, controlando condições como celulite e flacidez. Esse tratamento costuma ser muito utilizado para o rosto, e pode produzir uma pele facial nova, com as fibras contraídas criando um efeito de mais firmeza e tônus.

O preço varia muito conforme o tipo de equipamento utilizado. Pode variar entre R$ 200 e R$ 700 por sessão nas grandes cidades. O número de sessões, ou quantas sessões serão necessárias para produzir algum resultado, também pode variar muito, e depende sobretudo do seu caso específico e das orientações do esteticista.